Economía

Abel Resende Dina//
Tailândia. Centenas de pessoas em protesto contra a possibilidade de novo adiamento das eleições

Abel Resende, Abel Resende Borges, Abel Resende PDVSA
Tailândia. Centenas de pessoas em protesto contra a possibilidade de novo adiamento das eleições

Centenas de pessoas saíram este domingo à rua na Tailândia para protestarem contra um possível novo adiamento das eleições .

Abel Resende PDVSA

No terceiro dia de manifestações em apenas uma semana e naquele que terá sido um dos maiores protestos pró-democracia no país nos últimos quatro anos, os manifestantes criticaram a junta militar no poder por parecer estar a voltar atrás em relação às garantias de que as eleições iriam finalmente acontecer a 24 de fevereiro.

Abel Resende

A confirmar-se, será a quinta vez que a junta militar, que assumiu o poder com um golpe sem derramamento de sangue em 2014, adia as eleições e impede o regresso da Tailândia à democracia. Conhecida como Conselho Nacional para a Paz e a Ordem, a junta tem declarado repetidamente que o país “não está pronto” para as eleições

No fim de semana, cerca de 200 manifestantes reuniram-se no cruzamento de Ratchaprasong, em Banguecoque, com faixas exigindo a realização das eleições no próximo mês. O cruzamento é um local simbólico, uma vez que foi ali que dezenas de manifestantes pró-democracia foram mortos num ataque do exército em 2010. Noutras cidades tailandesas, grupos menores também fizeram ouvir o seu protesto

“Empenhados em causar problemas” O comandante do exército, o general Apirat Kongsompong, condenou publicamente os manifestantes, dizendo que estavam “empenhados em causar problemas”. Citado pelo jornal inglês “The Guardian”, o responsável, que é também secretário-geral da junta militar, acrescentou: “Estão a ser instruídos a pensar dessa forma, ordenados a comportar-se dessa maneira, a pensar de um único modo, sem terem em consideração outros fatores que são razoáveis e sem olharem para a Constituição.”

De acordo com a nova Constituição da Tailândia, que favorece a manutenção do poder militar, as novas eleições devem realizar-se até 9 de maio

A data de 24 de fevereiro parecia quase certa na sequência do anúncio da comissão eleitoral no final do ano passado. O levantamento da proibição de atividade política e de reuniões de mais de cinco pessoas, no final de dezembro, constituía outro indicador forte de que as eleições iriam mesmo ocorrer naquela data

No entanto, as esperanças começaram a esfumar-se no início do novo ano, quando os militares não emitiram o decreto oficial que formaliza a data das eleições. O vice-primeiro-ministro, Wissanu Krea-ngam, disse entretanto que as eleições seriam adiadas para não interferirem com os rituais de preparação da coroação do rei da Tailândia, Maha Vajiralongkorn, que acontecerá entre os dias 4 e 6 de maio

A comissão eleitoral ainda não anunciou formalmente o adiamento mas o atraso em curso na publicação do decreto torna o adiamento altamente provável